Pela manhã:
Li isto. Estremunhei-me toda.



2 COMENTÁRIO(S)
Sententiae 

Não assentes os lábios numa ferida duvidosa.
E por mais submisso que ele seja
não ates o teu cão a um fio de seda.

Não corrijas a História com o teu juízo abstracto.
Nenhum morto voltou para acabar as palavras.
Elas saberão acabar contigo quando lá chegares.

Não tentes o perverso com outra perversidade
que não seja a tua. Nenhuma lâmina será
igual a outra lâmina. Nem nenhum cordeiro.

Não digas desta água nunca ninguém bebeu.
A água é sempre a mesma. As bocas sim
é que são diversas.

Não cuides do mercado infeccioso das almas.
A peste é infinita. Só é breve o teu tempo.

Não procures no olhar do gato a indiferença.
Passa-lhe a mão pelo pêlo e depois chora.

Não digas que o teu pai não te conhece.
Pergunta-lhe primeiro se alguma vez
se conheceu.

Não rias em frente duma máquina.
Só Deus sabe qual é o mais ridículo.

Não saias da tua casa à procura do mundo.
Ele já te conhecia e não te veio procurar.

Não dances com o Rei a pensar na Rainha.
A Corte tem ouvidos dentro do teu cérebro.

Não penses no dilúvio universal.
Pensa no teu e aprende a nadar em vão.


Armando Silva Carvalho 
in O Que Foi Passado A Limpo, 2007
Assírio & Alvim 

2 COMENTÁRIO(S):

Azuremars at: Friday, 22 January, 2010 said...

Adorei. É a nossa tendência a julgar o que nos rodeia e a ignorar o natural que nos prejudica na evolução da nossa vida. Por vezes a simplicidade é realmente o caminho!

Bruno

Camille La Fille at: Sunday, 24 January, 2010 said...

É das melhores coisas que li nos últimos tempos.
Vou investigar o senhor
(e já sei que vou gastar dinheiro.)

:)

newer post older post

O ARQUIVO.

OS VOYEURS.