O osso da pila



2 COMENTÁRIO(S)
O osso da pila*
para o eduardo pires

pensávamos que se partíssemos o
osso da pila morríamos num instante sem
mais crescer, sem casar

pensávamos que o osso da pila era
o mais impressionante e que talvez fosse
articulado e que seria fundamental para crescer e para casar

pensávamos que faríamos filhos à
custa do osso da pila e que não os faríamos se
o partíssemos nem cresceríamos e nem poderíamos casar

pensávamos que casaríamos um dia, aterrorizados por
uma infância ansiosa, com as mãos no osso da pila para
o proteger, razão também pela qual achávamos ter podido
crescer e casar

pensávamos que o osso da pila justificava crescer e casar

não casámos, não partimos o osso da pila, crescemos,
devíamos ter morrido na infância, num instante




Valter Hugo Mãe
o inimigo cá dentro 
Volume contabilidade, Poesia 1996-2010 
Alfaguara, 2010

2 COMENTÁRIO(S):

sacana at: Wednesday, 07 September, 2011 said...

obrigado pela partilha, não lhe conhecia a poesia.

Camille La Fille at: Wednesday, 07 September, 2011 said...

http://cotonetes-van-gogh.blogspot.com/search?q=valter+hugo+m%C3%A3e

newer post older post

OS VOYEURS.